QUANDO DEUS ESCOLHE ALGUÉM

Missionária  Nayara Medeiros de Souza ministrando em Presidente Kubistchek – MG Quando Deus

TUDO VALERÁ A PENA

TUDO VALERÁ A PENA – Hb 11: 8-16 A vida dos pioneiros da fé registrada no livro de Hebreus 1

REUNIÃO DE HOMENS

REUNIÃO DOS HOMENS DE DEUS Shalom Adonai!!!! Hoje, 05/08/2014, terça-feira, teremos reunião de ho

 

ORIENTAÇÕES 17º DIA – JEJUM DE ESTER – 17/11/12

novembro 17, 2012 in Pra Cristina Medeiros

FOCO DE 28 DIAS – JEJUM DE ESTER – 3ª ETAPA – 7 DIAS – 15/11 à 21/11/12

17º Dia – 17/Nov/2012 – VESTIR-SE DE AUTORIDADE – Et. 8:8-17

Deus deu ao povo uma autoridade. Ester e Mordecai receberam autoridade para escrever a lei a favor do povo de Deus, e assim escreveram que o povo de Deus teria o direito de se defender e resistir. Deus não livrou o povo da guerra, Deus lhes deu o direito de resistir.
Temos autoridade para guerrear, temos o Senhor dos Exércitos ao nosso favor. Deus nos dá é a autoridade de resistir, suportar e vencer.

- O valor das vestes sacerdotais.

- Assim é a Autoridade que a Igreja de Jesus Cristo esta vestida, em Mt 16:13-19, Jesus deu a um Apóstolo esta autoridade, como aconteceu com Mordecai. Desta maneira esta autoridade nos faz transformar em Cristo, o Pur em Purim. Jesus é o nosso Purim, a nossa mudança de sorte. Jesus deixou na terra uma igreja soberana, vestida de autoridade, incumbida de dar continuidade às Suas grandes obras e trazer o estabelecimento do Reino de Deus.
- Ap. 21:2 – Mt. 28:18-20 – Infelizmente, muitas pessoas vivem distantes dessa verdade espiritual porque são roubadas. Através da autoridade espiritual da igreja, vestida como noiva de Cristo, as portas do inferno não prevalecem contra ela (a igreja). Por isso, a guerra é constante e satanás tem como objetivo tirar as pessoas da cobertura da igreja. Fora dessa cobertura o homem está vulnerável às ações de satanás e passa a ser manipulado e enganado. Falta-lhe direção.
- Estar vestido de autoridade é:

1 – Exercer o governo – Is. 9:6 - Ester confiou no Senhor, buscou ao Senhor. Aquele que tem autoridade, não se curva diante da ameaça de Hamã, não se intimida, não é manipulado pelas circunstâncias e nem se curva diante das ameaças do inferno, pois sabe que quem está nele é maior do que aquele que está no mundo. É ousado em denunciar as obras das trevas. Faz o que o Senhor lhe determina. Fala o que tem que ser falado. É inconseqüente aos olhos humanos, mas governa com o Pai.

2 – Ligar e Desligar na terra – Mt. 16:18 – Mordecai pôde escrever uma nova lei, pôde ligar a vitória do povo de Deus aqui na terra contra o Pur. – Durante muito tempo a igreja se manteve passiva por causa da falta desse entendimento, vendo o inferno avançar. Chegou o tempo de você exercitar a sua fé, ligando a salvação da sua família, a transformação dessa nação. Você será vestido dessa autoridade espiritual para viver os maiores milagres que você já viveu em sua vida. Leia Jr. 1:10

3 – É denunciar e trazer juízo aos inimigos de Deus – Et. 7:4-6 - Esse é o tempo em que Deus vai demonstrar o Seu poder e você será honrado como Seu servo. O que estava oculto será revelado. Os planos arquitetados contra sua vida serão desmascarados, em nome de Jesus.

- O que acontece quando eu estou vestido de autoridade espiritual?

1 – Milagres acontecem através da minha vida – At. 19:11, 12 - Você vai dar muitos frutos. O seu lugar não é curvado diante das situações do inimigo, encolhido em cavernas, mas, sim, frutificando para o Senhor. Declare: “Eis-me aqui Senhor. Tu podes me usar.”

2 – Sou reconhecido no mundo espiritual – At 19:13-16 – Não há demônio que possa te resistir. Aonde você chegar, as portas vão se abrir.

3 – As obras do inferno são destruídas e o nome do senhor é glorificado – At. 19:17-20

- Deus nos deu autoridade para resistir:

1 – Resistir espiritualmente – Tg. 4:7Ef. 6:13 – Resistimos ao inimigo com a nossa fé, temos o poder do Espírito Santo para suportar as setas do maligno. Temos armas como o jejum e a oração e resistimos no espírito. O inimigo recua quando vê em nós o poder da resistência espiritual.
2 – Resistir fisicamente – Hb. 12:2II Co. 12:10 – Jesus suportou tamanha aflição e resistiu, suportou a cruz. Calebe e Josué resistiram no deserto até a promessa se cumprir. Deus nos dá saúde, força e poder de resistência física.

3 – Resistir na alma, sentimentalmente – Hb. 12:3 – O inimigo quer nos marcar sentimentalmente. Situações que nos machucam, ferem os nossos sentimentos. Ester e Mordecai viveram isso, mas resistiram. Davi viveu isso, foi traído pelo próprio filho Absalão, e ainda foi apedrejado por Simei, mas Deus lhe deu poder de resistência.

- Aquele que resiste:

1 – Alcança a promessa de Deus – Js. 14:8, 9

2 – Cresce e envergonha ao inimigo – Gl. 6:17

3 – Vive o Purim – Et. 9:1-3

COROA ESTER

 

ORIENTAÇÕES 16º DIA – JEJUM DE ESTER – 16/11/12

novembro 17, 2012 in Pra Cristina Medeiros

FOCO DE 28 DIAS – JEJUM DE ESTER – 3ª ETAPA – 7 DIAS – 15/11 à 21/11/12

16º Dia – 16/Nov/2012 – SER HONRADO PELO REI – Et. 6:9, 10

- Faz parte do processo que Deus tem para nós ser honrado pelo Rei, mas muitas vezes não enfrentamos com coragem o tempo e modo dessa honra. Mordecai era o homem que Deus desejava honrar, as anomalias (irregularidades) e idiossincrasias (manias) marcadas pela desonra não faziam parte do seu ânimo, disposição e intelecto. Era um homem honrado como Jesus, fazia parte do rol daqueles que estavam na rota daqueles que dariam certo, se superariam e atingiriam novos patamares espirituais, pois a honra de Deus traz esse objetivo: abençoa o povo, abençoa a obra e abençoa a si mesmo.

- A honra humana passa pelo conteúdo egoísta e mesquinho do homem, é para ele mesmo e provém dele mesmo, mas a espiritual tem uma origem – Deus. – Tg. 1;16-18Et. 9:22

- Precisamos viver os quatro tempos para sermos honrados – Jo. 12:23-27

- Jesus sabia que a sua honra seria algo superior a tudo o que o homem poderia viver, essa é a nossa condição quando somos servos, pois ao servimos o Rei Jesus, colocamos nas suas mãos todas as nossas armas humanas e começamos a entender os caminhos espirituais dessa honra. Muitas vezes inacreditáveis, improváveis, dados como certos na forca, como foi para Mordecai, mas como o Senhor tem nos ministrado: O melhor de Deus ainda está por vir.

- Os tempos de honra são tempos de:

1 – De visão, de ter a percepção da honra – Jó 14:21 – Um homem de honra é alguém sensível a voz do Senhor, que acredita no propósito e no modo em que Deus opera e a partir dele começa a vislumbrar um futuro. A honra humana faz com que você viva um momento apenas, não constrói uma liga com o amanhã. A prostituição, a mentira, as armações e toda sujeira do pecado desonram o homem feito a imagem e semelhança de Deus. Nós como igreja construímos para os nossos filhos, para a nossa geração, para o mundo e através da visão que é a percepção, vamos ver coisas ainda maiores. Veja de que fonte está vindo a tua honra.

- Neste primeiro tempo precisamos ter o discernimento, há um rei, que deseja me honrar, mas você pode me dizer, ele nem me conhece, mas o coração dele está nas mãos daquele que interfere, julga e move todas as coisas.
2 – De determinação, de tomar posse da honra. – Jó 19:9 – Este é o momento crucial, vamos mergulhando em uma dimensão que não é cega, mas é poderosa para nos levantar e animar. Jó estava vivendo o momento de profunda solidão, vamos imaginar na vida de Mordecai, a sentença da forca estava determinada, a morte do povo judeu também, era o momento que Mordecai poderia falar: o plano deu errado. Mas um dia o rei não dormiu, algo começou a mudar, e declaramos para a tua vida, algo está começando a mudar na tua vida hoje, você vai viver o Purim como alguém honrado. Leia Hb. 3:17, pois essa honra espiritual não pode ser tirada da tua vida, persevere, conquiste para o Senhor, pois os planos do inimigo já foram frustrados, você é o homem que o Rei deseja honrar.
3 – De posicionamento, de se erguer para vivê-la. – Jó 29:20 – Somente um homem como Jó poderia entender que o processo de Deus é algo incrível, absoluto. Declare: A honra de Jesus está em mim, estou forte como Calebe, e hoje eu assumo os possíveis gigantes da terra, e desde já profetizo, aquela terra é minha!
4 – De conquista, de afastar todo sentimento de derrota. – Jó 30:15 – Na ótica real, realística, o rei havia dado uma ordem profética, faça ao meu servo Mordecai e não lhe omitas nada, pois o banquete para os servos de Hamã, seria o momento da sua reabilitação, mas no espírito de Mordecai, estava sacramentada a honra. O banquete era para o povo judeu. A festa está determinada para a sua casa, haverá felicidade, alegria, regozijo e honra, nada poderá mudar essa verdade. Então o seu papel é único, destruir com a espada os inimigos do povo de Deus.

Declare: Eu profetizo que a partir de hoje, me coloco embaixo de cobertura espiritual da minha igreja, igreja de Jesus Cristo, e que cada dia que passar, serei mais honrado pelo Rei dos reis. Declaro que eu e minha família será honrada pelo Rei Jesus. Amém!

- Quando recebo a honra, eu recebo:

* o anel de autoridade dos meus inimigos;

* a casa dos meus inimigos;

* o poder para anular todas as sentenças e decretos dos meus inimigos.

- Somos cartas de honra escrita pelo Senhor. - II Co. 3:2-6 – O inimigo vai sair da minha presença desonrado, mas os atributos da honra espiritual e material estarão sobre a minha vida todos os dias, pois ninguém poderá me resistir todos os dias da minha vida em nome de Jesus.

- A sua vida hoje pode receber essa mudança de sorte, o Rei Jesus já fez isso pelas nossas vidas, comece hoje a escrever uma verdadeira história de sua vida, quebrando todas as sentenças que o inimigo colocou sobre a tua vida, em nome de Jesus!

COROA ESTER

EM TEMPOS DE GUERRA NÃO PARE DE LUTAR

novembro 14, 2012 in Pra Cristina Medeiros

“Decorrido um ano, no tempo em que os reis costumam sair para a guerra, enviou Davi a Joabe, e seus servos, com ele, e a todo Israel (…); porém Davi ficou em Jerusalém” 2 Samuel 11:1.

Todas as vezes que você se recusa ir à Igreja, está se recusando a ir a guerra, pois nossa luta não é contra a carne nem contra o sangue, e sim contra os principados e dominadores, forças espirituais segundo o que está escrito no livro de Efésios 6:12. Talvez, você está vivendo uma guerra muito grande, sua familia está se destruindo, seu casamento se acabando, o tempo está passando e seus sonhos estão ficando para trás, sem falar nas doenças que muitas vezes nem a medicina pode trazer a cura, que luta em… uma verdadeira guerra.
Com tudo isso acontecendo muitas vezes ao invés de está na igreja, orando, perseverando, você fica em casa, desejando as bençãos do Senhor mais se omite em ir buscar esse Deus maravilhoso que opera os Milagres e concede as vitórias na vida de seus filhos que clamam por socorro.
Ficar em casa ao invés de ir a Igreja faz muita gente reclamar da vida, reclamar da familia, do marido, dos filhos, enxergam problemas até onde não existe, por não buscarem Deus, por esse motivo ficam vulneravéis as muitas CILADAS DO DIABO.
A vontade de Deus é nos dar vitórias, ele não quer nos ver destruídos ou doentes, a vontade de Deus para seu povo é que tenhamos vontade de buscá-lo e está ao seu lado, vontade de que venhamos  lutar com e ELE  e não “CONTRA”   a sua vontade em nossas vidas.
O rei Davi, experimentou a dor, a perda, e levou muita gente ao sofrimento por causa de sua má escolha, por que se recolheu em casa em tempo de guerra. Davi, depois de ver seu erro arrependeu-se e voltou a ser fiel ao Deus de Israel, porém sua vida ficou marcada por que UM DIA escolheu não ir a guerra…
Deus quer continuar dando vitórias a você e toda sua familia, não mate o profeta que tem dentro de você, levante-se, lute, vá enfrente, o Deus de Israel o escolheu para vencer, estou certo de que para cada luta contra você é uma vitória que terá em sua vida, não desista de acreditar que DEUS TE ESCOLHEU PARA VENCER.
Armadura de Deus

ORIENTAÇÕES 15º DIA – JEJUM DE ESTER – 15/11/12

novembro 14, 2012 in Pra Cristina Medeiros

FOCO DE 28 DIAS – JEJUM DE ESTER – 3ª ETAPA – 7 DIAS – 15/11 à 21/11/12

 15º Dia – 15/Nov/2012 – VIVER UM TEMPO DE REVELAÇÕES – II Rs. 6:8-19 – Am. 3:7

- Cremos que, durante o Jejum de Ester, Deus tem para cada um de nós um tempo de revelações.
- Revelação segundo o dicionário significa inspiração divina, manifestação, descoberta.

- Em Lc. 12:2 diz: “Nada há encoberto que não venha a ser revelado; e oculto que não venha a ser conhecido.”

- Os planos de Hamã não ficariam encobertos, se manifestaram pela luz. A partir desse jejum nada ficará encoberto na sua vida, tudo Deus te fará enxergar!

- Para vivermos um tempo de revelações precisamos:

1 – Andar em profunda consagração – Et. 3:1,2, 5 – Mordecai não se curvava à vontade do inimigo! Não se dobrava! A nossa santidade traz à luz todas as coisas no mundo espiritual, e o que estava encoberto passou a ser revelado. – Dn. 1:8 – Daniel não se contaminou e teve revelações dos sonhos de Nabucodonosor. Santidade é muito mais do que não pecar, é consagrar, é fazer a vontade de Deus, ser puro para ter a revelação de Jesus Cristo.

2 – Ter uma vida constante de oração e comunhão com o Senhor. – Jr. 33:3 - Parece obvio, mais muitas vezes ignoramos isso. Somos consumidos pelo trabalho, estresse do dia-a-dia e desprezamos uma comunhão mais profunda, uma vida de oração. Se você ora, clama, o Senhor te faz enxergar o oculto e você não tropeçará. – Dt. 29:29 – A oração traz o descortinar daquilo que está encoberto. Orar com toda perseverança e suplica.

3 – Querer enxergar a realidade do mundo espiritual – II Rs. 6:16-17 – Eliseu enxergava o mundo espiritual. Não importa o que seus olhos enxergavam, ele sabia qual a revelação no mundo espiritual, a verdade é que o Senhor estava na guerra. Eliseu tinha essa revelação. Muitas vezes o que enxergo não é a realidade. Mordecai não via uma escrava, mas sim um rainha. Calebe não via um deserto, mas a terra. Só posso viver isso pela fé – II Co. 5:7 – Eliseu enxergava o mundo espiritual, viver um tempo de revelações e rasgar o véu, enxergar sem escamas – II Co. 4:4.

- Quando vivo um tempo de revelações?

1 – Quando não sou manipulado pelos meus sentimentos – Geazi era assim, se desesperou, mas Eliseu tinha paz, confiava no Senhor, pois já tinha a revelação. Fp. 4:6

2 – Quando nada mais estará oculto, tudo se manifesta pela luz – Lc. 12:2 – Mt. 10:2-6
3 – Quando enxergo o que outros não enxergam – Eliseu era assim. E o Senhor lhe deu vitória.
- Você vai ter vitória, pois só você vai enxergar o que o homem natural não enxerga e isso te fará ter vitória, você é mais que vencedor, você é alguém diferenciado.

- Vou ter a revelação de mistérios que o mundo não tem quando:

1 – Andar no tempo perfeito de Deus e de acordo com a vontade dele – Am. 3:7
2 – Viver o livramento e levar cativo o inimigo – Et. 6:1-8 – Até aqui estava encoberto quem era Mordecai, mas agora tudo se revelou, com você será assim. – Os planos de Hamã foram revelados e Mordecai foi levantado. Assim será na tua vida, todos verão a unção do Senhor sobre você e você terá um tempo de Purim.

DECLARE PROFETICAMENTE: “Eu profetizo que recebo hoje habilitação espiritual para ir diante do Rei dos reis e que eu e a minha família receberemos revelações para podermos sempre estar diante do Rei. E essas revelações me trarão grandes vitórias, livramentos e estratégias para eu viver a plenitude do Purim, em nome de Jesus, amém!

COROA ESTER

QUANDO DEUS NOS CHAMA, ELE EXIJE UMA RESPOSTA POSITIVA.

novembro 14, 2012 in Pra Cristina Medeiros

Não há desculpas aceitáveis para fugir ao chamado de Deus.
QUANDO DEUS NOS CHAMA, ELE EXIJE UMA RESPOSTA POSITIVA.

Vivemos um tempo de indiferença e insensibilidade e que sempre existe uma desculpa para não fazer a obra de Deus. Tanta gente de férias na Obra de Deus.
É claro que tudo mundo merece umas férias de vez em quando, mas, tirar férias no meio de uma batalha é um absurdo. Tirar férias enquanto os irmãos estão se matando para fazer a obra de Deus é uma vergonha. Isto não é “bem-aventurança”, não é felicidade, isto é uma afronta a Deus.
- Parece-lhe justo alguém “sair de férias” exatamente em épocas de congressos e conferências em sua igreja?
- Parece-lhe justo alguém “viver em férias”, deixando seus irmãos carregar a igreja nas costas sozinhos? (Muitas vezes criticando o pouco que tem sido feito).
Quando você acertará suas prioridades? Se tiver que perder um ótimo emprego, um grande cliente ou um negócio por amor a Jesus – perca, mas não deixe de atender ao chamado de Deus. Não pense que seus dízimos e ofertas irão substituí-lo nesta batalha. Não irão! Não há neutralidade. Quem não é por Cristo, é contra Ele.
Quando Deus nos chama, Ele exige uma resposta positiva e não desculpas.
Há uma batalha em curso. Quando você deixará de dar desculpas e VERDADEIRAMENTE irá se engajar na obra de Deus?
QUANDO DEUS NOS CHAMA, ELE EXIGE UMA RESPOSTA.
Qual é a sua resposta?

USA-ME SENHOR

ORIENTAÇÕES 14º DIA – JEJUM DE ESTER – 14/11/12

novembro 13, 2012 in Pra Cristina Medeiros

FOCO DE 28 DIAS – JEJUM DE ESTER – 2ª ETAPA – 7 DIAS – 08/11 à 14/11/12

14º Dia – 14/02 – PROFETIZAR CONTRA O PUR – Et. 9:24 – Jo. 11:11-14 – 17-25 – 39-45

- Profetizar contra o PUR é ter na boca a palavra que vence a morte.

Pur – tem o significado espiritual de um tempo de destruição, sentenças, desonra e morte. O que vence o poder da morte é o poder da vida e ressurreição que há no Nome de Jesus Cristo. Hamã tinha seu coração dominado pelo ódio do diabo, e a bíblia diz que a boca fala do que está cheio o coração, e da boca de Hamã só saiam palavra de morte, sentença e ódio contra os judeus. Vemos a contrapartida disso, porque Mordecai um homem que tinha em seus lábios palavras de vida, justiça, envio, balizamento espiritual para Ester e denuncia contra o espírito de morte(Bigtã e Teres). Hoje nós vamos nos posicionar para profetizar e denunciar ao “PUR” do diabo, porque a denuncia e profecia anula o poder da morte.

- O poder de Cristo está em nossos lábios – Jo. 1:1-3 – Jesus Cristo é o verbo, a palavra, e este poder Ele delegou para sua Igreja, porque tudo o que pedimos em seu nome ele concederia, por isso posso profetizar contra o pur. Contra esta malignidade existe o PURIM (sorte), e Jesus é nosso PURIM (sorte) e seu poder está em nossos lábios. Por isso o diabo quer fechar os nossos lábios, e ele quer que usemos nossa boca para profetizar e declarar derrota, tristeza e morte. Vemos que havia um clima de “velório” tanto em Susã por parte dos judeus que choravam a sentença, como em Betânia por parte de Marta e Maria que choravam a morte de seu irmão Lázaro. Humanamente nada poderia ser feito, mas a palavra estava chegando em Betânia. O poder que vence a morte está nos meus lábios, tenho a palavra de Cristo, o verbo de Deus.

- Para vencer o PUR profetizando, preciso ter ações espirituais.

1 – Ter consciência que possuo o poder que vence o mundo – a Fé – I Jo. 5:4, 5 – Uma pessoa pode ter fé ou o dom da fé. Ter fé é quando creio que alguma coisa natural vai acontecer. Ex.: Fico parado no ponto de ônibus e creio que ele vai passar. Mas o dom da fé é dado para os ungidos com objetivo de vencer o mundo. Deus não dá o dom sem conseqüência, e ele é dado para vencermos o mundo, pois o mundo é baseado na incredulidade do inferno. O dom da fé vai trazer a manifestação do mundo espiritual no mundo natural, e quando tenho esse ingrediente, tenho dentro de mim o poder de fazer cair muralhas e vencer a morte. Você precisa ter consciência que tem poder nos seus lábios e profetizar usando o dom da fé.

João 11:11-14 – Jesus disse que Lázaro dormia, mesmo estando morte há 4 dias. Sua visão, palavra, fé e conseqüentemente resultado era diferente. Temos a vitória que vence o mundo que vence a  morte espiritual, tenho o dom da fé que move montanhas e desencadeia milagres sobrenaturais.

2 – Vencer a indiferençaJo. 11:34-38 – Jesus estava envolvido com a situação tanto que chorou, pois se solidarizou ao sofrimento de Marta e Maria e chorava pela incredulidade do povo. Da mesma forma Ester e Mordecai não foram indiferentes, pois amavam aos judeus como Jesus amava a Lázaro. O diabo quer lançar alienação, pois sabe que se não nos envolvermos e formos indiferentes então não profetizaremos.

3 – Ter sempre nos lábios a palavra de ressurreiçãoEz. 37:1-4 – Deus levou o profeta Ezequiel para um vale de morte porque ele era profeta. E se você enxerga um “pur” em alguma área de sua vida, saiba que Deus te colocou neste lugar para você profetizar a ressurreição.

- O que significar ter Bênçãos?

1 – Ter a sorte mudada – Sf. 3:20

2 – Chamar a existência o que não existe – Rm. 4:17

3 – Viver a restituição – Lázaro foi restituído a vida e os judeus tiveram a restituição da honra na Pérsia.

4 – Poder de salvação – Jo. 11:45 – Et. 8:17

5 – Viver ressurreição – Jo. 11:25

- A palavra de Cristo quebra as amarras e nos coloca em liberdade – Jo. 11:44

Que o Senhor continue a te abençoar durante o Jejum de Ester, te capacitando a vencer a cada dia os desafios e que seja liberado sobre a tua vida, sobre a tua família, uma unção nova e fresca.

Lembre-se: Este é o tempo de nos prepararmos para acessarmos as bênçãos que o Pai já liberou para as nossas vidas. Faça a sua parte!

LEÃO DE JUDÁ

 

ORIENTAÇÕES 13º DIA – JEJUM DE ESTER – 13/11/12

novembro 12, 2012 in Pra Cristina Medeiros

FOCO DE 28 DIAS – JEJUM DE ESTER – 2ª ETAPA – 7 DIAS – 08/11 à 14/11/12

13º Dia – 13/Nov/2012 – OBEDECER AO SACERDOTE – Et. 4:15, 16 – I Sm. 13:8-14

- A nossa vitória no mundo espiritual é derrotar a desobediência.

- Desde o Éden a história se repete: O homem é provado por Deus, para demonstrar a sua obediência. O primeiro Adão naquele Jardim falhou, o ultimo Adão no Jardim do Getsêmani prevaleceu, assim hoje, podemos imitá-lo e derrotar este espírito contrário a nossa constituição.
- O desafio de Ester era decidir sobre continuar na aparência do seu dia a dia de rainha, sem se importar com o seu povo, ou obedecer, e a exemplo de Jesus ser intercessora por muitos, ter parte no despojo e derramar a sua alma até as ultimas conseqüências.(Is. 53:12).
- A conseqüência da desobediência de Adão foi a sua nudez, perdendo a sua cobertura e a sua identidade. Ao encontrarmos o caminho de obediência voltamos a desfrutar da nossa posição de autoridade. Quem vai contra a autoridade no mundo espiritual dá trombada no invisível e sai torto sem saber porquê.

- Nós estamos debaixo da cobertura que nos traz poder para derrotar a desobediência. Não seremos envergonhados, a nossa nudez foi coberta com as vestes de festa, porque escolhemos o caminho da obediência.

- O caminho de Saul foi da precipitação, para vencer este caminho precisamos:

- Saul era Rei, mas usurpou a sua posição, e perdeu tudo o que tinha. A descaracterização da sua função potencializou a sua deformação e abriu caminho para ação dos demônios.

1º: Honrar a origem da nossa unção.

Ao reconhecermos que a unção que está derramada em nossas cabeças tem uma origem determinada por Deus, não iremos contra o que já está estabelecido no mundo espiritual. Samuel havia derramado o óleo sobre Saul, e agora era Saul que feria o que estava determinado, desonrando a unção que recebera. O espírito de divisão tem origem nesta desonra, e precisa ser derrotado para não habilitarmos nenhum sentimento de divisão em nosso meio.

 2º: Vencer as resistências interiores.

Saul desenvolveu uma submissão passiva, não esperar por Samuel foi mais do que uma questão de tempo. Ele já alimentava em seu coração um sentimento de independência a ação espiritual, ela sempre se dá no contexto do corpo dentro do princípio da aliança, quando não agimos nessa unção estamos alimentando resistências, permitindo contaminações que por fim irão frustrar os nossos resultados.

3º Desejar caminhar para a restauração.

O verdadeiro arrependimento é medido na mudança de comportamento. Saul novamente em I Sm. 15 manifesta a discordância da autoridade sacerdotal não cumprindo a ordem que havia recebido para exterminar por completo aos amalequitas ao tentar salvar o melhor segundo a sua ótica distorcida, acabou por habilitar sua própria derrota, pois ao fim de sua vida se suicidou tendo como testemunha um Amalequita. II Sm 1:7-10.

- Para avançarmos no caminho de Ester, precisamos:

Ao ouvir o desafio, Ester optou pelo comodismo, mas Mordecai a levou a entender que o seu caminho deveria ser aberto não pela condição política, mas com o uso de armas espirituais.
A vitória do nosso caminho está ligada a nossa habilitação nos posicionamentos e a constituição que adquirimos quando em obediência a direção sacerdotal obtemos grandes vitórias. Com isto, temos que:

1º Reconhecer a eficácia das Armas Espirituais.

A convocação do Jejum foi o passo decisivo para mudar o cenário de ameaça de morte em defesa e despojo. Somente quando discernimos a dinâmica do mundo espiritual é que podemos interferir para mudanças definitivas, esse é o Jejum que vai trazer as maiores transformações em nossas vidas, porque estamos usando as armas espirituais debaixo de um envio.

2º Garantir a mobilização de todo o povo, sendo o exemplo.

A disposição de todo o povo em jejuar é o sinal profético do avanço da igreja, isto reflete o compromisso com o Senhor e o desejo de receber as bênçãos.

3º Avançar em direção a conquistas maiores.

Ester e Mordecai após a vitória do Purim descortinaram um horizonte de poderosas conquistas. Mordecai foi levado ao segundo posto de importância em todo o reino de Assuero e esta aliança garantiu prosperidade para todo o povo. Este é o tempo de enxergamos as maiores conquistas de nossas vidas debaixo da unção que já nos habilitou armas espirituais excelentes.

- A benção da Concordância – Mt. 18:18 – Este é o posicionamento que Deus nos chama a exercer nestes dias. A vitória que Mordecai e Ester viveram, reflete o posicionamento daqueles que agem em concordância. Quando escolhemos derrotar as resistências habilitamos um futuro de realizações e abrimos no mundo espiritual espaço para muitas conquistas. Este e o tempo de declararmos que viveremos além das nossas expectativas, porque a nossa concordância derrota as ameaças e derrama sobre as nossas vidas, a marca da Felicidade, alegria, regozijo e honra.

LEÃO DE JUDÁ

COMO POSSO AJUDAR MEU PASTOR?

novembro 11, 2012 in Pra Cristina Medeiros

COMO POSSO AJUDAR MEU PASTOR?

Honrar o Pastor e Orar por Ele

Certa vez um Pastor iria pregar num congresso, onde lhe haviam atribuído uma tarefa muito importante. Sentia-se um pouco tenso. A responsabilidade era bem pesada e ele duvidava de sua capacidade. Nove dias antes do congresso, ele mencionara esses temores à sua Igreja, e pedira aos irmãos que orassem por ele. Chegando à cidade onde seria realizado o congresso, ele foi para o hotel e dirigiu-se ao balcão de recepção para pegar a correspondência. O funcionário disse que havia apenas um telegrama. Nele vinham somente três palavras: “Nós o amamos!”

Seguiam-se doze páginas com o nome dos membros da igreja. No domingo anterior, o outro Pastor da sua Igreja anunciara que a terça-feira seguinte seria o dia mais importante para ele e dissera que quem quisesse mandar-lhe uma palavra de incentivo poderia assinar o telegrama. O Pastor passou a ler os nomes, todos eles, e emocionalmente sentiu-se com três metros de altura. Teve a sensação de que era capaz de fazer qualquer coisa devido ao incentivo e apoio recebido naquele momento.

No mesmo dia, ele compartilhou com outro Pastor o que tinha lhe acontecido, e este homem com lágrimas nos olhos disse: “Eu gostaria que pelo menos uma vez, uma vez só, alguém de minha igreja dissesse isso para mim.”

Um grande número de Pastores partilha do mesmo sentimento desse Pastor. Eles têm a sensação de que os crentes não os amam, não os apreciam, nem oram por eles.

Precisa-se de homens que estejam decididos a ajudar a modificarem essa situação, conclamando os homens a que “honrem seus Pastores e orem por eles”.

Honrar o Pastor

Rm 12.10 – Deus ordena que estimemos, respeitemos e mostremos apreço uns pelos outros, no corpo de Cristo.

1 Ts 5.12 – Contudo, quando se trata de pastores, a Palavra de Deus tem uma orientação especial. No original grego, a frase “que os tenhais com amor em máxima consideração” tem uma construção inusitada. Aí o apóstolo triplica a intensidade do termo “máxima”. Esse trecho poderia ser traduzido da seguinte maneira: “que os tenhais com amor indo além da máxima consideração”. Ou ainda assim: “que tenhais consideração, consideração, consideração com amor pelos que trabalham entre vós”.

Esse texto quer mostrar que os crentes precisam ter uma alta consideração por seu Pastor. E têm de respeitá-lo, não pelo cargo que ocupa, nem pelos títulos que possa ter, nem pela sua idade, nem pelos dons espirituais, mas “por causa do trabalho que realiza”. Vemos, portanto, que a Bíblia ordena que os crentes demonstrem apreço uns pelos outros, mas que tenham um apreço triplicado pelo Pastor.

Se assim é, por que será que os Pastores não estão recebendo honra em nossos dias? Primeiro, porque nossa sociedade não nos incentiva a honrar ninguém. Vivemos numa era de igualitarismo, que não tolera diferenças entre os indivíduos e parece querer que todas as pessoas sejam tratadas igualmente. E os crentes em geral estão adotando a mesma atitude na igreja.

Mas a principal razão de os membros da igreja não demonstrarem apreço pelo Pastor é que desconhecem que isso é um dever do seguidor de Jesus Cristo. E fato que alguns parecem ter prazer em depreciar o Pastor; contudo, a maioria não lhe tem apreço por ignorar essa ordenança da Palavra de Deus. Por que os membros das igrejas desconhecem essa ordem de demonstrar apreço pelos Pastores? Ninguém lhes ensinou isso. Sabendo que a maioria das pessoas iria reagir dessa maneira (achando o Pastor egoísta, prepotente, etc), os Pastores receiam dar esse ensino. E a igreja continua em sua ignorância, desobedecendo a uma ordenança clara de Deus.

A Igreja precisa reviver essa verdade bíblica. Vamos juntos, com a graça de Deus, eliminar essa negligência e o desapreço de que os Pastores são vítimas..

Que será que sucederia se você, meu irmão, procurasse honrar e incentivar seu Pastor regularmente? Acredito que sua igreja começaria a receber bênçãos nunca dantes recebidas. Por quê? Porque Deus nos abençoa quando obedecemos à sua Palavra.

Orar pelos Pastores

A Bíblia ensina claramente que devemos orar por todos os crentes – Ef 6.18. E quando se trata de orar pelos pastores, então, nossa responsabilidade é ainda maior – Rm 15.30. Os pastores precisam muito de nossa intercessão. Qual a razão disso? Satanás deseja muito destruir a obra de Cristo no mundo. E uma das suas estratégias mais eficazes é atacar os Pastores. Se o diabo conseguir derrubá-los, denegrindo a causa de Cristo, trazendo-lhe vergonha e zombaria, impedirá que muitos incrédulos creiam em Jesus. Todos nós vimos os malefícios causados por pastores que cometeram erros morais ou simplesmente abandonaram o ministério cristão por se sentirem desiludidos de tudo.

“Os homens da igreja que se dedicam a orar pelo Pastor são como os postes que sustentam os fios pelos quais passa a corrente elétrica. Eles não são a energia. Tampouco são eles os agentes que tornam eficaz a pregação da Palavra. Entretanto sustentam os cabos pelos quais circula o poder divino que chega ao coração dos homens. Criam as condições favoráveis necessárias à pregação do evangelho”.

O apóstolo Paulo estava sempre pedindo que orassem por ele, para que “eu seja ousado”. É preciso que os homens da igreja estejam ao lado dos seus Pastores, orando por eles, a fim de que tenham coragem de anunciar todo o desígnio de Deus, e não se intimidem diante de oposições, venham elas de dentro ou de fora da igreja.

No dia em que um jovem Pastor pregou seu primeiro sermão, iniciando seu ministério, um irmão idoso aproximou-se dele e disse:

— Você é muito jovem para pastorear uma igreja tão grande como esta. Aqui sempre tivemos pastores mais velhos. Acho que não irá ter sucesso. Mas como você prega o evangelho, vou fazer tudo que estiver ao meu alcance para ajudá-lo. O jovem Pastor olhou para ele e pensou: ‘Esse é um daqueles implicantes’. “Entretanto, o velho continuou”: “— Vou orar para que receba o poder do Espírito Santo. Mais dois irmãos já combinaram de orar também.”

E algo grandioso aconteceu:

O Pastor não ficou chateado quando o velho homem disse que iria orar por ele. Os três irmãos se reuniam antes do culto pedindo a Deus que o poder do Espírito Santo viesse sobre o Pastor aumentaram para dez; de dez passaram a vinte, depois a cinqüenta, e mais tarde a duzentos. O Pastor e mais dezoito diáconos também se reuniam em outra sala. Eles se ajoelhavam à sua volta, cercando-o de todos os lados. Sempre que subia ao púlpito, o jovem Pastor tinha a certeza de que receberia a unção, pois duzentos e dezenove homens haviam orado. Assim, a pregação se tornou fácil, uma verdadeira satisfação. Nessas condições, qualquer um saberia pregar. E qual foi o resultado? Em três anos, aquela igreja recebeu mil e cem novos convertidos, seiscentos dos quais homens. Como alguns Pastores conseguem pregar sem esse apoio da oração. Os membros da igreja precisam saber que não podem ir aos cultos apenas para ficar sentados como se fossem meros espectadores curiosos e ociosos à espera de entretenimento e diversão. Eles têm a missão de orar fervorosamente para que o pregador seja revestido do Espírito Santo e suas palavras tenham a força da dinamite.

Os resultados foram extraordinários. O Pastor experimentou renovado poder e autoridade na pregação. E os intercessores sentiam-se responsáveis pela reunião de domingo. Sabiam que a oração deles era essencial para que ocorressem eventos de valor eterno. Além disso, com essa parceria na oração, Deus estava criando um forte espírito de união entre eles.

Suponhamos que os homens da igreja procurassem o seu Pastor e lhe pedissem licença para interceder por ele. O que será que aconteceria? Essa comunidade nunca mais seria a mesma.

O Homem que Deus Quer

Em nossos dias existe uma necessidade premente de que os homens prestem, de uma vez por todas, uma lealdade total à missão de Cristo; que assumam um compromisso irrevogável com a pessoa de Jesus e sua mensagem. Vivemos numa época de seguidores falsos, crentes apáticos e adoradores que desaparecem nas horas difíceis. Por isso temos de aproveitar todas as oportunidades que surgirem para proclamarmos que não é fácil ser um verdadeiro cristão. Nunca o foi e nunca o será. Por essa razão é preciso que aqueles que chamam a Jesus de Senhor, renovem seu compromisso de posicionarem-se ao lado dele e de serem contados como seus discípulos, seja qual for o preço a pagar.

O que comprova que alguém é discípulo de Cristo não é o fato de ele usar um alfinete de lapela com certos dizeres, nem um adesivo plástico no carro, e nem mesmo o de ser membro de uma igreja. O que revela sua condição de discípulo é a maneira como ele vive, como aplica na prática as palavras, a missão e a vida de Jesus. Não se trata simplesmente de aderir a uma causa ou a um credo, mas de viver carregando a cruz, algo a que temos de devotar a própria alma.

 Conclusão

A medida que Igreja for cada vez mais honrando seus Pastores e orando por eles, uma nova vida começará a brotar nas igrejas. O Pastor e os membros constituirão uma equipe de trabalho coesa. E os ministros de nossa terra experimentarão um novo senso de seu chamado. A pregação deles mudará e veremos surgir um espírito de santidade. E assim teremos um avivamento. Esse é nosso objetivo: ver um avivamento alastrando-se por todo este país. Como é que isso acontecerá? O avivamento virá à medida que as igrejas forem sendo avivadas. E cada igreja será avivada quando seu Pastor experimentar um avivamento pessoal. Para isso Deus usará vários elementos. Um deles são os homens da promessa que mantêm seu compromisso de honrar seu Pastor e orar por ele.

equipe (1)

ORIENTAÇÕES 12º DIA – JEJUM DE ESTER – 12/11/12

novembro 11, 2012 in Pra Cristina Medeiros

FOCO DE 28 DIAS – JEJUM DE ESTER – 2ª ETAPA – 7 DIAS – 08/11 à 14/11/12

12º Dia – 12/Nov/2012 – RECEBER O FAVOR DO REI – Et. 5:1-3

- Como receber favor do rei?

- A lei do rei Assuero determinava que qualquer homem ou mulher que se apresentasse diante do rei sem ser chamado correria sério risco de morte, pois esta era a sentença, salvo apenas se o rei estendesse o seu cetro de ouro demonstrando sua aprovação.
- Ester sabia disso, e se posicionou em jejum e oração, pois sabia que seria necessária uma intervenção de Deus para que o rei Assuero não só aceitasse ouvi-la, mas atendesse o desejo do seu coração.

- A situação de Ester era delicada, mas ela agora entendia plenamente porque Deus a colocou como rainha, pois o Pur já estava lançado, a lei já estava assinada pelo rei, já tinha dia e hora para todo o povo judeu morrer, e o que Ester deveria realizar seria uma tarefa impossível aos olhos humanos, pois a lei era irrevogável. Muitas vezes enfrentamos situações delicadas, momentos em que humanamente se torna impossível um desfecho favorável, e neste momento muitos se desesperam, tem atitudes loucas, fogem de suas responsabilidades, são guiados pela carne e conseqüentemente vivem assolação, tristeza e morte. Mas aprendemos uma grande lição espiritual com Ester, ela usou da arma do jejum e da oração.

Fp. 4: 6, 7 - Ester em oração e jejum venceu toda ansiedade proveniente da aflição e insegurança que sentia em face ao seu grande desafio, e recebeu a paz de Deus que a orientou sobre a estratégia certa para abordar o rei e recebeu o seu favor.

- Nós estamos em meio a um jejum poderoso, orando incessantemente, por isso tenha certeza que Deus te dará paz em meio a tuas guerras, a direção, a palavra certa, a atitude correta, para que você possa entrar na presença do Rei Jesus preparado para receber o desejo de seu coração.

- Et. 2:17 - A atitude do Rei Assuero profeticamente tipifica o que Jesus faz por sua noiva (Ester) a Igreja. Nós fazemos parte do povo que conquistou a autoridade e a salvação, aquilo que os judeus(Vasti) desprezaram.

- O Rei Jesus nos amou e por causa do seu amor alcançamos o favor do rei, ou seja, conquistamos a graça, a benevolência, o beneficio e a recompensa.

- Ester teve sua petição aceita pelo rei exatamente porque havia alcançado a graça, porque se comportava de maneira diferenciada.

- Você vai encontrar o favor do rei porque neste jejum está se santificando, se comportando de maneira diferenciada, e isso vai te fazer vencer todas as ameaças, todas as sentenças que o inferno lançou, todas as forcas que o diabo preparou, porque você tem o FAVOR DO REI JESUS!

- Para receber o favor do rei temos que as seguintes atitudes:

1 – Usar as vestes corretas – Et. 5:1 – Não bastava Ester jejuar e se preparar espiritualmente, ela também deveria usar suas vestes reais para se apresentar diante do rei Assuero. - Hb. 4:16 - Não podemos nos apresentar com vestes de desespero, de incredulidade ou medo, mas com vestes de confiança, estando 100% preparado para ser recebido pelo Rei!

2 – Ouvir o sacerdote – Et. 4:13-16 - Mordecai no papel de sacerdote orienta Ester sobre sua missão de interceder pelos judeus diante do rei. – Não posso desprezar a voz do sacerdote, daqueles que presidem sobre a minha vida, mas andar debaixo da palavra daqueles que verdadeiramente são ungidos pelo Senhor, pois na palavra do sacerdote se encontra a revelação do meu chamado.

3 – Ter atitudes de fé – Hb. 11:1 - Ester quando disse “se perecer, pereci”, não estava sendo inconseqüente, mas na verdade estava quebrando as barreiras de sua carne e abrindo seu coração para andar pela fé, pois não andamos por vista, mas por aquilo que cremos.
- Jejum é um ato de fé, quando jejuamos nos tornamos mais sensíveis à voz do Espírito Santo, recebemos as estratégias do Senhor, aprendemos a fazer a vontade de Deus, mortificamos nossa carne e realizamos os propósitos de Deus cumprindo nossa verdadeira vocação espiritual, como Ester.

4 – Desejar o que é certo – Pv. 11:27 – Ester aprendeu a desejar fazer o que era certo, ou seja, interceder pelo seu povo e salvá-los. Ela venceu o egoísmo, as resistências humanas, as deduções da carne. Ainda que pudesse morrer, ela teria a consciência tranqüila sabendo que estava fazendo o que era certo. Quando ela desejou o que é certo, se abriu para o livramento do Senhor.

5 – Se colocar com ousadia – II Tm. 1:7 – Ester Não foi covarde. Muitos sabem o que tem que fazer, mas na hora “H” fogem de suas responsabilidades. Ester agiu no poder e na ousadia diante do rei.

- Quando recebo o favor do rei, o que acontece?

1 – Deus inclina o coração dos poderosos ao meu favor – Pv 21:1

2 – Deus concede o desejo do meu coração, transforma o Pur em Purim

3 – Entro em portas maiores – aquelas que nunca entrei antes

4 – Os meus inimigos são envergonhados, serão enforcados na forca que prepararam

5 – Tenho a benção do reconhecimento, como aquele que é favorecido pelo Rei!

Declare: “Eu declaro que como Ester, serei beneficiado pelo rei. Profetizo que o rei me favorecerá, me abençoará, me abrirá as maiores portas que eu já pude entrar e que nesse tempo eu serei reconhecida, em nome de Jesus, amém!

LEÃO DE JUDÁ

 

ORIENTAÇÕES 11º DIA – JEJUM DE ESTER – 11/11/12

novembro 10, 2012 in Pra Cristina Medeiros

FOCO DE 28 DIAS – JEJUM DE ESTER – 2ª ETAPA – 7 DIAS – 08/11 à 14/11/12

11º Dia – 11/Nov/2012 – IR A PRESENÇA DO REI – Et. 4: 15-18

- Por causa da palavra de Mordecai, Ester tomou uma atitude drástica em relação ao seu futuro. Ou o Senhor lhe abençoaria naquele instante, ou tudo estaria perdido para ela e para o povo.

- Dn 3:16-18 – Como Ester os três amigos de Daniel também foram à presença do rei e também foram radicais quanto ao futuro de suas existências. Ou o Senhor interferiria, ou então tudo estaria perdido. Em todos, se manifestou o caráter apostólico (aquele que tem uma missão, um chamado) e nos momentos inclusive de alto risco eles não perderam a essência da sua missão, do seu chamado.

- Para que possamos viver essa capacidade é necessário:

1 – Professar a nossa fé a despeito das conseqüências.

2 – Não perdermos o verdadeiro foco das nossas vidas.

3 – Saber que se estamos debaixo de envio, o Senhor estará interferindo.

4 – O nosso chamado falar muito mais forte do que a nossa própria preservação.

5 – Não nos prostrarmos as circunstâncias.

- Como podemos desenvolver esse caráter em nós?

1 – Buscar a nossa formação – II Tm. 3:16, 17

- Deus é um Deus de formação, em tudo e para tudo Ele nos deixou instruções, o apóstolo Paulo foi instruído aos pés de Gamaliel. Ester foi preparada por Mordecai para ir a presença do rei, como também Daniel e seus amigos. II Cr. 1:10.

2 – Sermos fiéis a nossa vocação – Gn. 39:7-9

- José sabia que o Senhor o havia colocado naquela casa para um propósito e não para ser amante de ninguém.

3 – Íntegros e não venais – Jó 1:1 – Tt. 2:7, 8

- O diabo tenta tirar essa característica levando-nos aos nossos limites para quebrar a nossa integridade.
4 – Sermos marcados com as nossas experiências – Gl. 6:12-17

Não podemos ser superficiais, nossas palavras e atitudes são embasadas nas marcas que o Senhor nos deu com o passar dos anos e das experiências. Ou seja, a dor das marcas não nos destruiu, mas formaram o nosso caráter de conquistador.

5- Sermos ousados e não covardes – Fp. 1:19-21 – II Tm. 1:7

- Estamos sob uma cobertura que nos garante o sucesso da parte de Deus o que é diferente da valentia humana, nós somos ousados porque temos o respaldo do Espírito Santo de Deus, e andamos de acordo com o que já alcançamos. Quando somos ousados no espírito é porque demonstramos que Deus está conosco. - Dn. 3:28-30 – Jo. 14:19-21. Quando os três amigos de Daniel foram ao rei Nabucodonosor, na verdade estavam indo em direção ao Rei dos reis, porque ao manifestarem a convicção quanto a Fé no Senhor, eles foram de encontro à palavra (Jesus Cristo), e a Honra do Senhor os revestiu. Porque eles glorificaram ao Senhor Jesus.

LEÃO DE JUDÁ